Pacientes se arriscam usando silicone industrial em procedimentos estéticos

A utilização de silicone industrial no Brasil é considerada crime, previsto no Código Penal! Este produto só pode ser utilizado fora do contexto de saúde, em casos de:

  • Limpeza de carros e aviões
  • Impermeabilização de azulejos
  • Vedação de vidros

 

O silicone industrial não deve ser injetado em nenhuma parte do corpo humano, uma vez que desencadeia diversos problemas de saúde:

  • Anomalias
  • Deformações
  • Dores
  • Dificuldades para andar
  • Infecções
  • Embolia pulmonar
  • Morte

 

Saiba mais em: O caso Dr. Bumbum e a necessidade de se gerenciar o risco cirúrgico

 

Caso algum profissional tenha utilizado essa substância em procedimentos estéticos, o paciente deve procurar um médico para avaliar a gravidade do caso.

O silicone original, de uso médico-hospitalar, é o único recomendado na construção de próteses e implantes e, para ter permissão de uso, é necessário, primeiramente, passar pela análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e ser aprovado.

Além do mais, a utilização deste material nos procedimentos estéticos só pode ser realizada por profissionais especializados e habilitados para procedimento. Também vale ressaltar que a cirurgia precisa ser realizada em instituições que apresentem boa infraestrutura para atender possíveis complicações.

 

Saiba como controlar a qualidade do serviço na sua instituição no Curso “Gerenciamento de Riscos e Implantação do Núcleo de Segurança do Paciente”, que ocorrerá nos dias 03 e 04 de setembro em São Paulo/SP. INSCREVA-SE:

http://www.ibes.med.br/cursos/gerenciamento-de-riscos-e-implantacao-do-nucleo-de-seguranca-do-paciente-sao-paulo-sp/


Conheça mais sobre Cirurgia Segura no vídeo abaixo:

 

Referência:

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Risco à saúde: silicone industrial para uso estético. 2018.



Deixe uma resposta