‘Vírus H2N3’ não circula em nenhum lugar do mundo, esclarece OPAS/OMS

Após uma série de boatos publicados em jornais e mídias sociais do Brasil, sobre a possível circulação do “vírus H2N3”, a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) esclarece que o suposto tipo de Influenza não circula em nenhum lugar do mundo.
Matéria publicada pela OPAS/OMS alerta para os áudios compartilhados por aplicativo de mensagem. As Organizações esclarecem que a medida mais eficaz para a prevenção da influenza grave e de suas complicações é a vacinação.
 
QUERO ME INSCREVER NO II FÓRUM DE PRÁTICAS DE EXCELÊNCIA EM SEGURANÇA DO PACIENTE E II ENCONTRO DA GERAÇÃO DE EXCELÊNCIA
 
Entre outras importantes ações preventivas estão:

  • Lavar as mãos regularmente (com secagem adequada)
  • Evitar tocar nos olhos, nariz ou boca, bem como o contato próximo com pessoas doentes
  • Autoisolamento precoce daqueles que se sentem mal, febris e apresentam outros sintomas da gripe
  • Cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, usando tecidos e descartando-os adequadamente

 
Leia também: Ministério da Saúde esclarece que a notícia sobre vírus H2N3 no Brasil é falsa

Cepas de vírus no mundo

A influenza sazonal é uma infecção respiratória aguda causada por vírus da influenza que circulam em todas as partes do mundo. Atualmente, há quatro tipos de vírus de gripe sazonal: A, B, C e D. Os vírus influenza tipo A são classificados em subtipos de acordo com as combinações de duas proteínas diferentes, a hemaglutinina (H) e a neuraminidase (N), localizadas na superfície do vírus. Os subtipos de vírus da gripe A que circulam atualmente no mundo entre seres humanos são os da influenza A (H1N1) e A (H3N2).
O A (H1N1) também é conhecido como A (H1N1) pdm09, porque causou uma pandemia em 2009 e posteriormente substituiu o vírus da gripe sazonal A (H1N1) que havia circulado antes de 2009. Pelo que se sabe até hoje, apenas vírus influenza tipo A já causaram pandemias.
Os vírus influenza B não são classificados em subtipos, mas podem ser divididos em duas linhagens, denominadas B/Yamagata ou B/Victoria.
Os vírus da gripe A e B circulam e causam surtos e epidemias. Devido a esta razão, as estirpes relevantes dos vírus da gripe A e B estão incluídas nas vacinas contra a gripe sazonal. O vírus influenza C é detectado com muito menos frequência e geralmente provoca infecções leves, não apresentando implicações significativas para a saúde pública.
Os vírus da influenza D afetam principalmente o gado e não parecem ser causa de infecção ou doença no ser humano.
 
 
Já estão abertas as inscrições para o 2º Fórum Práticas de Excelência do IBES e 2º Encontro da Geração de Excelência.

 

Confira o Canal de Excelência em Saúde!

Neste episódio Aléxia Costa comenta um estudo sobre como melhorar a segurança do paciente.

 
Participe do próximo III Curso de Atualização Técnico-Científica sobre o Manual ONA OPSS Versão 2018 
Inscreva-se já!

 
Fonte: Organização Pan-Americana de Saúde