O que a Enfermeira Florence Nightingale tem a ver com a gestão de indicadores?

As informações desempenham um papel central na capacidade de um sistema ou organização de saúde de oferecer um atendimento eficaz e eficiente para sua população. Elas podem ser usadas de diversas maneiras, como rastrear a saúde dos pacientes, monitorar a segurança dos cuidados de saúde, determinar o tratamento apropriado para os pacientes através da identificação dos resultados, promovendo aprimoramento profissional, garantindo controle gerencial e promovendo a prestação de contas.

A medição do desempenho desempenha função essencial na orientação das decisões que várias partes interessadas – como pacientes, médicos, gerentes, governos e o público – tomam para buscar melhores resultados.

Registros dos esforços de medição de desempenho nos sistemas de saúde podem ser rastreados por pelo menos 250 anos.

A coleta e publicação de informações sobre desempenho foram desenvolvidos de maneira mais “formal” há mais de 100 anos, quando os pioneiros Florence Nightingale (enfermeira, estatística, reformadora social e escritora britânica que ficou famosa por ser pioneira no tratamento a feridos de guerra, durante a Guerra da Crimeia) e Ernest Codman (cirurgião pioneiro americano que fez contribuições para anestesiologia, radiologia, cirurgia, oncologia ortopédica e estudo de resultados médicos) fizeram campanha pelo seu amplo uso na área da saúde.

Na época, os esforços de ambos foram frustrados pela resistência profissional e, até recentemente, os sistemas de informação não conseguiram entregar os benefícios prometidos, na forma de pontualidade e precisão de informações.

Nos últimos 25 anos, no entanto, a medição e os relatórios de desempenho do sistema de saúde aumentaram substancialmente, ajudando assim a garantir a melhoria do sistema de saúde. Muitos fatores contribuíram para esse crescimento.

Do lado da demanda, os sistemas de saúde estão sob intensa pressão para conter custos; Além disso, agora os pacientes esperam tomar decisões mais informadas sobre seu tratamento e fortes demandas foram feitas para aumentar a auditoria e a responsabilização das profissões e instituições de serviços de saúde. Do lado da oferta, os grandes avanços na tecnologia da informação tornaram muito mais barato e fácil coletar, processar e disseminar dados.

O movimento atual é no sentido de determinar as melhores maneiras de resumir e apresentar esses dados e como integrar com sucesso em estruturas eficazes de governança.

No entanto, apesar da proliferação de iniciativas de mensuração de desempenho, ainda existe um grande número de perguntas não resolvidas sobre a coleta e implantação dessas informações. Os sistemas de saúde ainda estão experimentando o conceito de medição de desempenho e ainda há muito a ser feito para realizar todo o seu potencial.

A medição é para ajudar a responsabilizar seus vários agentes, permitindo que as partes interessadas tomem decisões informadas.

 

Referências bibliográficas: Peter C. Smith, Elias Mossialos and Irene Papanicolas.Performance measurement for health system improvement: experiences, challenges and prospects. World Health Organization.

 

 



Deixe um comentário