Confira as principais medidas de prevenção de infecção puerperal para o parto vaginal

infecção-parto-vaginalComo você já sabe, a Anvisa lançou uma série de documentos sobre a Segurança do Paciente durante o V Seminário Internacional: Redução do Risco para a Segurança do Paciente e Qualidade em Serviço de Saúde, que aconteceu de 07 a 10 de agosto.

 

Nós publicamos aqui no blog, cinco dos doze cartazes para a segurança do paciente, pertencentes a estas publicações. Hoje, vamos apresentar o 5º cartaz da série, (6° cartaz na nossa sequencia de publicações aqui), Medidas de prevenção de infecção puerperal para o parto vaginal.

O cartaz reúne práticas para evitar infecções no parto vaginal. As medidas são apresentadas em três fase: Pré-parto, Intraparto e Pós-parto, todas de extrema importância para a segurança da paciente. Confira as ações recomendadas e aplique na sua instituição.

Medidas de Prevenção de Infecção Puerperal no Pré-parto

1. Uso de luvas:

  • O toque vaginal deve ser realizado com luvas de plástico ou de procedimentos (látex não cirúrgicas), limpas, não necessariamente estéreis.
  • As luvas devem ser acondicionadas em local apropriado, seco e limpo.
  • O profissional de saúde deve higienizar as mãos antes e após cada exame.

2. Higiene das mãos:

Confira o cartaz 7 que fala sobre a higiene das mãos; Como prevenir infecções com práticas de higiene das mãos?

3. Realizar procedimentos invasivos somente quando houver indicação e com produtos para saúde devidamente esterilizados.

4. Realizar menor número possível de toques vaginais:

  • Os toques vaginais devem ser restritos às avaliações do progresso do trabalho de parto e em menor número possível, sobretudo em mulheres com ruptura de membranas amnióticas.

Medidas de Prevenção de Infecção Puerperal no Intraparto

Não há evidências suficientes para indicar antibioticoprofilaxia para o parto vaginal, inclusive para o parto instrumental*, exceto nas seguintes situações:

  • Remoção manual da placenta.
  • Lacerações de períneo de 3º e 4º graus.

*Considera-se parto instrumental toda atividade empregada para abreviar o período expulsivo fetal quer seja por instrumentos cirúrgicos (ex: fórcipe e vácuo extrator), quer seja por vácuo extrator.

Medidas de Prevenção de Infecção Puerperal no Pós-parto

1. Fazer vigilância epidemiológica de infecção pós-operatória.

2. Orientar a puérpera sobre sinais e sintomas de infecção.

3. Orientar que as relações sexuais com penetração vaginal podem ser restabelecidas por volta de 20 dias após o parto, quando já tiver ocorrido a cicatrização.

4. A higiene perineal deve ser realizada com água e sabonete no mínimo 3 (três) vezes ao dia e após as eliminações fisiológicas, diurese e evacuação.

 

Confira as medidas que já foram publicadas

Medidas de prevenção de infecção da corrente sanguínea associada a cateter venoso central

Medidas para prevenção de pneumonia

Medidas de prevenção de infecção do trato urinário associada a cateter vesical de demora.

Conheça as ações para prevenção de Infecção Cirúrgica

Como prevenir infecções com práticas de higiene das mãos?

FAV-SP1200x628