CFF esclarece a decisão judicial que impede a atuação do farmacêutico na estética

O Conselho Federal de Farmácia (CFF), publicou ontem (25/04/2018), uma nota de esclarecimento sobre a decisão judicial que desfavorece a atuação de farmacêuticos na área de estética. Segundo o Conselho, o acórdão não abrange todo o âmbito profissional farmacêutico nesta área.

O CFF ressalta que as demais resoluções sobre estética continuam em vigor, assim como a aplicação de botox. Somente os procedimentos de cosmetoterapia, eletroterapia, iontoterapia, laserterapia, luz intensa pulsada, peelings químicos e mecânicos, radiofrequência estética e sonoforese foram anulados.

 

QUERO ME INSCREVER NO II FÓRUM DE PRÁTICAS DE EXCELÊNCIA EM SEGURANÇA DO PACIENTE E II ENCONTRO DA GERAÇÃO DE EXCELÊNCIA

 

Confira a nota de esclarecimento completa:

Nota de esclarecimento sobre a atuação dos FARMACÊUTICOS NA ÁREA DA ESTÉTICA

“O Conselho Federal de Farmácia (CFF) esclarece que, ao contrário do que tem sido equivocadamente divulgado, o recente acórdão desfavorável à atuação do farmacêutico na área estética (Tribunal Regional Federal da 1ª Região), não abrange todo o âmbito profissional farmacêutico nesta área. A ação anula, APENAS E TEMPORARIAMENTE, A RESOLUÇÃO/CFF Nº 573/13.

As demais resoluções que versam sobre a estética continuam em pleno vigor. Ação impetrada contra as mesmas por entidades médicas na justiça federal de São Paulo foi extinta, inclusive, com parecer do Ministério Público Federal favorável aos farmacêuticos.

O CFF ressalta que a resolução anulada não inclui a aplicação de botox, restringindo-se aos procedimentos cosmetoterapia, eletroterapia, iontoterapia, laserterapia, luz intensa pulsada, peelings químicos e mecânicos, radiofrequência estética e sonoforese.

Informa, também, que já recorreu da liminar, pois o acórdão extrapola o âmbito previsto na Resolução/CFF nº 573/13, quando cita os “procedimentos estéticos”, tais como “bichectomias”, nunca regulamentadas por este conselho.

Ademais, em 3 de abril, foi publicada a Lei Federal nº 13.643/18, que implantou um paradigma inédito no país ao dispor que o “exercício da profissão de esteticista é livre em todo o território nacional”. A estética é, portanto, uma área multiprofissional, não sendo de atuação restrita aos médicos ou de qualquer outro profissional da saúde.”

 

Leia também: Justiça proíbe farmacêuticos de realizar procedimentos dermatológicos estéticos

 

Já estão abertas as inscrições para o 2º Fórum Práticas de Excelência do IBES e 2º Encontro da Geração de Excelência.

 

Confira o Canal de Excelência em Saúde!

A Royal Pharmaceutical Society (Reino Unido) divulgou um relatório sobre a contribuição da Farmácia para a administração de antimicrobianos. O relatório inclui seis recomendações-chave. Acompanhe os comentários de Aléxia Costa.

 

Participe do próximo Gerenciamento de Indicadores para a Excelência de Desempenho
Inscreva-se já!

 

Fonte: Conselho Federal de Farmácia