5 Razões para proteger os dados do seu paciente

5 Razões para proteger os dados do seu paciente

É fundamental para o sistema de saúde manter a confiança entre médico e paciente em um processo centrado no paciente. Se os pacientes acreditarem que as informações que dão a seus médicos e profissionais de saúde e, por consequência às instituições, serão usadas contra eles, os pacientes ficarão reticentes em fornecer os detalhes necessários para sua própria saúde e bem, estando assim deteriorando seu próprio cuidados de saúde.

Se os pacientes acreditam nos interesses caritativos de seus médicos, é provável que forneçam detalhes críticos e tenham um papel ativo em seus cuidados. Além disso, há uma grande pressão financeira para utilizar algoritmos para automatizar as decisões de atendimento para reduzir custos, aumentando assim os lucros institucionais e da indústria.

A matemática é exata: dados de maior qualidade significam atendimento médico de melhor qualidade. Uma das vantagens do digital é a capacidade de sumarizar grandes quantidades de dados rapidamente. No entanto, os dados usados ​​devem ser precisos. Os registros eletrônicos de saúde são conhecidos por conter muitos erros, e os pacientes podem garantir a precisão de seus dados pessoais de saúde quando têm acesso para verificá-los.

Com a transparência e segurança, o controle de dados se tornam mais detalhados e melhores dados são recebidos, melhores e mais precisas conclusões são retiradas.

Leia também: LGBT e LGPD – O que essas duas siglas tem em comum?

As organizações de saúde devem ser obrigadas a fornecer aos pacientes seus registros médicos completos em formato eletrônico em tempo real, e os sistemas que não cumprem devem ser responsabilizados pelo bloqueio desses dados.

Se assegurarmos que os pacientes controlem seus dados, isso permitirá que eles escolham os sistemas de saúde que podem ser mais éticos e ter melhores soluções. Os pacientes que estão mais engajados em seus próprios cuidados de saúde tendem a ter melhores resultados de saúde em geral, e o acesso aos dados do paciente permite que os pacientes se envolvam mais em sua própria saúde.

O “Direito à Privacidade” é um direito humano fundamental conforme declarado pela Declaração Universal dos Direitos Humanos das Nações Unidas. O direito à privacidade e ao controle dos dados sobre o próprio corpo é essencial para preservar a dignidade e o respeito de cada um, bem como a confiança da população médica. Nessa nova era digital, será dever de cada médico proteger os direitos de privacidade de dados digitais de cada paciente como um direito humano básico.

Serão muitos anos de trabalho por parte de acadêmicos, organizações de saúde, indústria e governo para assimilar totalmente todas as informações éticas, sociais e tecnológicas associadas para garantir o gerenciamento correto dos dados dos pacientes.

Por isso o Grupo IBES vem trazendo uma novidade única e exclusiva para sua organização. Em vista de todos esses dados citados logo aí acima! As organizações em geral precisam estar na lei e precisam ser certificadas. Acesse o link e descubra como o IBES irá certificar sua instituição dentro da LGPD.

Fonte da imagem: Freepik

 



Deixe uma resposta