Projeto Lean reduz lotação nas Emergências do SUS

 

O Projeto Lean nas Emergências, que tem como objetivo reduzir a superlotação dos serviços de urgência e emergência do SUS, chega ao 4º ciclo. Para essa fase, foram selecionados 40 hospitais de 18 estados

Veja a lista dos 40 hospitais selecionados para o 4º Ciclo

MUNICÍPIO UF UNIDADE
Rio Branco AC Hospital Geral das Clínicas de Rio Branco
Manaus AM Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto
Manaus AM Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio Pereira Machado
Manaus AM Hospital e Pronto Socorro Dr. Aristóteles Platão Bezerra de Araújo
Salvador BA Hospital Eládio Lasserre
Fortaleza CE Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes
Fortaleza CE Hospital Infantil Albert Sabin
Vila Velha ES HIMABA – Hospital Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves
Goiânia GO Hospital de Urgências de Goiânia – HUGO
Anápolis GO Hospital de Urgências Dr. Henrique Santillo
São Luis MA Hospital Municipal Dr. Odorico Amaral de Matos – Hospital da Criança
São Luis MA Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão
Belo Horizonte MG Hospital João XXIIII
Belo Horizonte MG Hospital Risoleta Tolentino Neves
Contagem MG Hospital Municipal de Contagem
Juiz de Fora MG Hospital de Pronto Socorro Dr. Mozart Geraldo Teixeira – HPS
Campo Grande MS Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian
Marabá PA Hospital Municipal de Marabá
Belém PA Hospital Pronto Socorro Municipal Mario Pinotti
João Pessoa PB Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio de Miranda Burity
João Pessoa PB Hospital da Polícia Militar General Edson Ramalho
Teresina PI Hospital Getúlio Vargas
Londrina PR Hospital Evangélico de Londrina
Campina Grande do Sul PR Hospital Angelina Caron
Porto Velho RO Hospital Estadual de Pronto Socorro João Paulo II
Porto Velho RO Hospital Infantil Cosme e Damião de Porto Velho
São Leopoldo RS Fundação Hospital Centenário de São Leopoldo
Porto Alegre RS Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre – HPS
Santa Maria RS Hospital Universitário de Santa Maria
Passo Fundo RS Hospital São Vicente de Paulo
Florianópolis SC Hospital Infantil Joana de Gusmão
Florianópolis SC Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina
Aracaju SE Hospital Governador João Alves Filho
Cotia SP Hospital Regional de Cotia
Campinas SP Hospital de Clínicas da UNICAMP
Indaiatuba SP Hospital Augusto de Oliveira Camargo
São Paulo SP Hospital Municipal Dr. Carmino Caricchio
São Paulo SP Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro de Saboya
Itapecerica da Serra SP Hospital Geral de Itapecerica da Serra
Cantaduva SP Hospital Padre Albino

Nos últimos seis meses, mais 20 hospitais do SUS participaram do 3º ciclo do Projeto Lean nas Emergências. As unidades apresentaram um resultado médio de redução de 43% do indicador de superlotação, 39% no tempo para chegada em um leito de internação hospitalar e 37% na redução do tempo de passagem pela urgência até a alta. Isso significa, que o paciente que busca atendimento nessas emergências fica em média quase 12 horas a menos no pronto-socorro, considerando o período desde a entrada na unidade.

Para o secretário de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, o Projeto Lean nas Emergências veio para atender uma grande demanda, que é diminuir a superlotação nas portas de entrada dos serviços de saúde de Urgência e Emergência do SUS, por meio da melhoria da capacidade operacional, da organização dos fluxos e processos de trabalho e principalmente do envolvimento da equipe com a gestão do hospital. “Com certeza todas essas ações trazem um atendimento mais resolutivo e com qualidade para os pacientes que utilizam os serviços do SUS”, explica o Secretário.

A iniciativa é uma parceria do Ministério da Saúde com o Hospital Sírio Libanês e faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS) para o triênio de 2018 a 2020. Outros 57 hospitais já passaram pelo processo de intervenção.

CEARÁ E SÃO PAULO SÃO DESTAQUES DO 3º CICLO

Entre os hospitais que se destacaram nessa etapa estão o Hospital Regional do Cariri, no Ceará, e o Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence, em São Paulo. A unidade cearense apresentou melhora de 66% na superlotação e diminuiu o tempo de espera para cirurgia na ortopedia para 24h.

Já o hospital paulista teve 65% de melhora na superlotação e aumentou o giro de leitos com redução do tempo médio de permanência do paciente internado em 14%. Na prática os hospitais diminuíram consideravelmente a superlotação e com a organização dos fluxos e o menor tempo de permanência do paciente ter outros resultados positivos na oferta dos serviços prestados pelas unidades de saúde.

Cidade Estado Nome do Hospital
Fortaleza CE Hospital Geral de Fortaleza
Juazeiro do Norte CE Hospital Regional do Cariri
Brasília DF Hospital Regional de Ceilândia
Goiânia GO Hospital Materno Infantil
São Luiz MA Hospital Municipal Djalma Marques – Socorrão 1
Belo Horizonte MG Hospital Júlia Kubitschek
Belo Horizonte MG Hospital Infantil João Paulo II
Campo Grande MS Hospital Regional Rosa Pedrossian
    João Pessoa PB Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena
Campina Grande PB Hospital Regional de Emerg. e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes
Petrolina PE Hospital Universitário de Petrolina
Recife PE Hospital da Restauração
Curitiba PR Hospital Universitário Cajuru
Curitiba PR Hospital Universitário Evangélico Mackenzie
Florianópolis SC Hospital Governador Celso Ramos
Joinville SC Hospital Regional Hans Dieter Schimidt
    Jundiaí SP Hospital São Vicente de Paulo
São Jose dos Campos SP Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence
São Paulo SP Hospital Municipal Tide Setubal
São Paulo SP Hospital Municipal Prof. Dr. Alípio Corrêa Neto – Ermelino Matarazzo

A fase de intervenção dura em média seis meses. Após o término desse período, a equipe de controle do projeto acompanha os resultados por mais 12 meses para garantir a manutenção a longo prazo das melhorias introduzidas nas unidades.  Ao final desse ano, fim do triênio, a meta é chegar a 100 serviços de emergência com intervenção e até 200 hospitais participando da comunidade.

 

Fonte: Ministério da Saúde

 

Lean HealthcareEntendimento da filosofia Lean voltado para área da saúde (Lean Healthcare). Desenvolver uma visão sistêmica dos processos do ponto de vista dos cliente para facilitar a identificação dos desperdícios e das oportunidades de melhoria. Afinal, como dizia um dos pais do Sistema Lean, Taiiche Ohno: “Eliminar desperdícios é fácil, o difícil é identificá-los”

 



Deixe uma resposta