O que realmente importa pra você? Veja o que aconteceu no “What matters to you?” de 2019

Todo dia 6 de junho, O IBES apóia a iniciativa do Healthcare Improvement Scotland “What matters to you”. A iniciativa começou em 2014, na Noruega, e já se espalhou por vários cantos do mundo.

Um dos principais objetivos da iniciativa é de simplesmente escutar, ouvir profundamente e entender. Assim, encorajamos os profissionais de saúde a terem uma conversa com pacientes, familiares e cuidadores sobre “O que é importante para você”?

Os profissionais de saúde devem se atentar em fazer as perguntas abaixo, ao seu paciente, familiar ou cuidador:
– Sobre o que você gostaria de falar?
– Como você se sente?
– O que aconteceu?

O dia é uma oportunidade para parar e pensar um pouco mais sobre como estamos ouvindo, quem também estamos ouvindo e o que estamos fazendo como resultado. Na semana passada, o IBES perguntou aos seus seguidores no Instagram: “O que importa para você?” – Confira algumas das respostas dos profissionais de saúde:

A equipe do Hospital Cassems de Campo Grande, também aderiu ao movimento e deu um verdadeiro show de sensibilidade com os desejos de seus pacientes.

“Se você estivesse hospitalizado há vários meses, com restrições alimentares, sem ver amigos e parentes queridos, qual seria o seu maior desejo? Nós, do Hospital Cassems de Campo Grande realizamos, no Dia Mundial do “O que Importa para Você?”, o desejo de três pacientes de longa permanência. Rita, internada há 30 dias, queria ver a neta, a pequena Júlia, de bailarina. Seo Adauto, há 104 dias no hospital, queria comer costela com mandioca e o Seo Oraci, queria um pavê. Além da comida, os dois pacientes, companheiros de quarto, queriam também fazer barba, cabelo e bigode! Com uma barbearia improvisada, eles realizaram o desejo e depois da sessão de beleza puderam curtir o sabor de um delicioso almoço à moda da fazenda! Já a Rita, assistiu uma apresentação da linda bailarina, que mesmo de forma tímida, arrancou lágrimas e sorrisos de todos que estavam presentes!” – Carolina

Faça disso um hábito.
Pergunte o que importa.
Ouça o que importa.
Faça o que importa!


1 comentário

Deixe uma resposta