Humanização é destaque no Hospital de Base de São José do Rio Preto

Enquanto observava a avenida em frente ao Hospital de Base de São José do Rio Preto, o seu Carlos, imobilizado e internado há um mês na UTI depois de um grave acidente automobilístico, não imaginava que em breve iria protagonizar um momento histórico: sentir o vento e o calor do sol em seu rosto.

O passeio pelo jardim do hospital aconteceu na tarde do último dia 8 de outubro, após uma mobilização de rotina realizada com os pacientes internados na UTI. “O fisioterapeuta que acompanhava o seu Carlos percebeu que ele estava emocionado vendo a avenida pela janela da nossa sala de conforto familiar, no 7º andar. Quando perguntou se ele queria descer para tomar um sol, o paciente respondeu que sim e nós realizamos todos os procedimentos”, conta Débora Valverde, enfermeira supervisora da unidade.

O paciente Carlos teve seu desejo de tomar um pouco de sol e de vento realizado pela equipe multiprofissional do Hospital de Base

A iniciativa foi realizada por diversos membros da equipe multidisciplinar, que contou, além de Débora, com a presença da enfermeira clínica Alessandra Soler, da técnica de enfermagem Ana Paula Rosa, do médico Mário Guimarães e dos fisioterapeutas Marcos Vinicius, Guilherme e Lelis. “Organizamos todos os equipamentos necessários para o transporte: bateria de bomba de infusão, BiPAP, torpedo cheio, torpedo de reserva, caixa de transporte, prancha ortostática e monitor multiparamétrico para verificar sinais vitais”, detalha Débora. Antes disso, o quadro clínico do seu Carlos foi avaliado por todos os membros.

O transporte foi realizado pelos membros da equipe após a avaliação do quadro clínico do seu Carlos

A unidade conta ainda com a sala de conforto familiar, espaço no qual os pacientes também podem se movimentar, com o acompanhamento da enfermagem e da fisioterapia, para observar o mundo exterior além das paredes da UTI. Débora destaca que ainda que a UTI do Hospital de Base conte com persianas para que a luminosidade natural permita aos pacientes perceberem se é dia ou noite, a iniciativa de conduzir seu Carlos desde o 7º andar foi inédita. O que já é rotina da unidade é realizar a mobilização dos pacientes, geralmente em conjunto com a fisioterapia, em caminhadas mais curtas, sejam para sentar em uma poltrona dentro do quarto ou com alguns passos no corredor. “Essas saídas são importantes para que o paciente se sinta vivo e renove suas energias”, avalia Débora.

Este é mais um exemplo de ação de humanização no cuidado, possibilitando que mesmo durante uma internação ou tratamento, todos têm direito ao seu lugar ao sol.

“Essas saídas são importantes para que o paciente se sinta vivo e renove suas energias”, avalia a enfermeira Débora Valverde

 

Fotos: Hospital de Base Rio Preto

Fonte: COREN

 



Deixe uma resposta