As 10 ameaças tecnológicas em saúde para o ano de 2019

O Relatório 2019 Top 10 Health Technology Hazards publicado pelo ECRI Institute destacou as fontes potenciais de perigos decorrentes da tecnologia em saúde. O trabalho elencou os riscos de acordo com a prioridade de atenção das instituições de saúde e colaboradores:

  1. Os Hackers Podem Tirar Vantagem do Acesso Remoto aos Sistemas, Prejudicando as Operações de Saúde: esses ataques podem levar a sistemas inoperantes, diminuir a performance e expor dados comprometedores os quais podem colocar o paciente em risco;
  2. Na “Limpeza” dos Colchões, Fluídos Corporais Podem Respingar nos Pacientes: A limpeza e desinfecção inapropriada pode expor enfermos a materiais infecciosos;
  3. Esponjas Retidas Continuam Sendo uma Complicação Cirúrgica Apesar das Contagens Manuais: levando a infecções e outras complicações;
  4. Acionamento Inapropriado do Alarme de Ventilação Coloca os Pacientes em Risco de Lesão Cerebral ou Morte: pois estes ventiladores são ferramentas que ajudam os pacientes a respirar adequadamente;
  5. O Manejo Inadequado de Endoscópios Flexíveis depois da Desinfecção Pode Levar a Infecções dos Pacientes: podendo contaminar novamente esferas já desinfetadas;
  6. Confundir a Taxa de Dose com a Taxa de Fluxo Pode Levar a Infusão de Medicamentos Errados: o que inclui a programação errada, causando riscos à saúde do paciente;
  7. Customização Inapropriada da Configuração do Alarme do Monitor Fisiológico Pode Resultar em Alarmes Perdidos: que pode levar a lesões ao paciente ou até morte;
  8. O Risco de Lesão decorrente dos Sistemas de Elevação Sobre os Pacientes: pode causar danos aos enfermos se forem desenhados, instalados, utilizados ou mantidos inadequadamente;
  9. Limpar Fluidos Infiltrados nos Componentes Elétricos Pode Levar à Danificação do Equipamento ou Incêndio: isso ocorre quando fluidos entram na tomada, plugue ou fontes de energia;
  10. Práticas e Sistemas Falhos de Carregamento de Energia Podem Afetar a Operação dos Dispositivos: gerando riscos a todos os agentes envolvidos.

 

Confira também: 5 Características das organizações que NÃO conseguem melhorar a qualidade

 

Esta lista foi constituída pelo ECRI de acordo com os seguintes critérios:

  • Gravidade;
  • Frequência;
  • Amplitude;
  • Periculosidade;
  • Perfil;
  • Capacidade de Prevenção.

 

Inovação e Cultura de Segurança do Paciente serão temas abordados no CURSO “Nível 3: Estratégias para alcançar a Excelência”, que ocorrerá no dia 19 de outubro em São Paulo/SP. INSCREVA-SE e garanta a sua vaga!


Confira a entrevista com Vice Presidente do Conselho Administrativo da ONA, Dr. Fábio Gastal:

 

Referência:

Health IT Security. Remote Access System Hacking Is No. 1 Patient Safety Risk. Outubro de 2018.

Patient Safety & Quality Healthcare. HACKERS, MATTRESSES, SPONGES TOP ECRI HEALTH TECH HAZARDS LIST. Outubro de 2018.



Deixe uma resposta