Quais são os 3 Desafios Globais de Segurança do Paciente?

A ocorrência de eventos adversos devido à assistência insegura é uma das 10 principais causas de morte e invalidez no mundo. Em países de alta renda, estima-se que 1 em cada 10 pacientes sofre algum dano durante o atendimento hospitalar. O dano pode ser causado por uma série de eventos adversos, sendo cerca de 50% deles evitáveis.

A cada ano, 134 milhões de eventos adversos ocorrem em hospitais de países de baixa e média renda (LMICs), devido a cuidados inseguros, resultando em 2,6 milhões de mortes. Cerca de dois terços de todos os eventos adversos resultantes de cuidados inseguros e os anos perdidos por invalidez e morte (conhecidos como anos de vida ajustados por incapacidade) ocorrem em LMICs.

Globalmente, até 4 em cada 10 pacientes são prejudicados na atenção primária e ambulatorial. Até 80% dos danos são evitáveis. Os erros mais prejudiciais estão relacionados ao diagnóstico, prescrição e uso de medicamentos. Os investimentos na redução dos danos ao paciente podem levar a economias financeiras significativas e, mais importante, a melhores resultados para os pacientes. Um exemplo de prevenção é o envolvimento do paciente, se bem feito, pode reduzir o ônus do dano em até 15%.

O que é segurança do paciente?

A Segurança do Paciente é uma disciplina de saúde que surgiu com a complexidade em evolução dos sistemas de saúde e o aumento resultante de danos aos pacientes em instalações de saúde. Tem como objetivo prevenir e reduzir riscos, erros e danos que ocorrem aos pacientes durante a prestação de cuidados de saúde.

A pedra angular da disciplina é a melhoria contínua com base no aprendizado com os erros e eventos adversos. A segurança do paciente é fundamental para a prestação de serviços essenciais de saúde de qualidade.

Na verdade, há um consenso claro de que os serviços de saúde de qualidade em todo o mundo devem ser eficazes, seguros e centrados nas pessoas. Além disso, para obter os benefícios de cuidados de saúde de qualidade, os serviços de saúde devem ser oportunos, equitativos, integrados e eficientes.

Garantir a implementação bem-sucedida de estratégias de segurança do paciente; políticas claras, capacidade de liderança, dados para impulsionar melhorias de segurança, profissionais de saúde qualificados e envolvimento efetivo dos pacientes em seus cuidados, são todos necessários.

Resposta da OMS

A Assembleia Mundial da Saúde (WHA) adotou uma resolução sobre Segurança do Paciente que endossou o estabelecimento do Dia Mundial da Segurança do Paciente a ser observado anualmente pelos Estados Membros em 17 de setembro.

O objetivo do Dia Mundial da Segurança do Paciente é promover a segurança do paciente aumentando a conscientização e o engajamento do público, melhorando a compreensão global e trabalhando em prol da solidariedade e ação globais.

Leia também: Confira o panorama do 3º Desafio Global para Segurança do Paciente

Principais áreas de ação estratégica

A unidade de Segurança do Paciente e Gestão de Risco da OMS tem sido fundamental para o avanço e a formulação da agenda de segurança do paciente globalmente, concentrando-se em impulsionar melhorias em algumas áreas estratégicas importantes por meio de:

  •  fornecer liderança global e promover a colaboração entre os Estados Membros e as partes interessadas definindo prioridades globais de ação
  • desenvolver diretrizes e ferramentas
  • fornecer apoio técnico e capacitação dos Estados Membros
  • envolver pacientes e famílias para cuidados de saúde mais seguros
  • monitorar melhorias na segurança do paciente realizando pesquisas na área

Ao focar nessas áreas-chave para facilitar melhorias sustentáveis na segurança do paciente, a OMS visa melhorar a experiência do paciente, reduzir riscos e danos, alcançar melhores resultados de saúde e custos mais baixos. Iniciativas da OMS até o momento O trabalho da OMS sobre a segurança do paciente começou com o lançamento da Aliança Mundial para a Segurança do Paciente em 2004 e esse trabalho continuou a evoluir ao longo do tempo. A OMS facilitou melhorias na segurança dos cuidados de saúde dentro dos Estados Membros através do estabelecimento de Desafios Globais de Segurança do Paciente.

Cada um dos desafios identificou um fardo para a segurança do paciente que representa um risco importante e significativo. Os desafios até agora foram:

  1. Clean Care is Safer Care (2005); com o objetivo de reduzir as infecções associadas aos cuidados de saúde, concentrando-se na melhoria da higiene das mãos.
  2. Cirurgia segura salva vidas (2008); dedicado a reduzir os riscos associados à cirurgia.
  3. Medication Without Harm (2017); com o objetivo de reduzir o nível de danos graves e evitáveis relacionados a medicamentos em 50% em todo o mundo em cinco anos.

Fonte da imagem: Freepik

Fonte da notícia: Organização Mundial de Saúde

 



Deixe uma resposta