Protocolo de Londres

Vantagens de aplicar o Protocolo de Londres na sua Organização de Saúde

O Protocolo de Londres é a versão revisada e atualizada do nosso “Protocolo para Investigação e Análise de Incidentes Clínicos” original.

Pode-se dizer que seu objetivo é analisar de forma abrangente e reflexiva os incidentes clínicos e ter uma visão macro do contexto, sem focar somente na falha em si.

Analisar falhas, lacunas e incidentes atrelados à assistência à saúde é etapa fundamental para a melhoria da segurança do paciente. Entretanto, o foco deve estar em conhecer e compreender todo o contexto que levou àquele erro, e não apenas achar um culpado.

Leia também: O que é Protocolo de Londres e como aprender a usá-lo

Para ser possível assegurar a investigação e análise profunda dos fatos que compõem o incidente clínico, é importante organizar as etapas de aplicação do protocolo, em conjunto com a equipe multidisciplinar.

As etapas de análise e investigação sugeridas apresentam a seguinte ordem sequencial:

  • Investigar o incidente;
  • Selecionar o time de investigação;
  • Coletar dados;
  • Organizar dados;
  • Linha cronológica;
  • Identificar problema;
  • Identificar fatores contribuintes;
  • Desenvolver um plano de ação.

Entre os fatores contribuintes, podemos destacar:

Fatores do Paciente

  • Condição (complexidade e gravidade) Comunicação e linguagem Fatores sociais e de personalidade

Fatores da Tarefa ou Tecnologia

  • Claridade da estrutura e desenho da tarefa Disponibilidade e uso de protocolos Disponibilidade e acurácia dos testes auxiliares à tomada de decisão

Fatores Individuais (pessoas)

  • Conhecimento, habilidade, experiência específica.
  • Saúde física e mental

Fatores do Time (equipes)

  • Comunicação verbal Comunicação escrita Disponibilidade de ajuda e supervisão Estrutura do time (congruência, consistência, liderança, etc)

Fatores do Ambiente de Trabalho

  • Interrupções, barulho, conforto térmico, iluminação, etc
  • Padrões de turno e carga de trabalho Manutenção, design e disponibilidade de equipamentos
  • Apoio administrativo e gerencial no ambiente de trabalho

Fatores Organizacionais e Gerenciais

  • Restrições financeiras
  • Estrutura organizacional
  • Políticas, padrões, protocolos ambíguos, normas pouco claras.
  • Cultura de segurança e prioridades

Fatores do Contexto Institucional

  • Contexto regulatório e econômico 
  • Sistema de saúde loco regional 
  • Ligação com organizações externas

O uso do protocolo de Londres oferece à equipe uma metodologia estruturada que possibilita um conjunto de vantagens pois:

  • Instiga a análise do que pode ter contribuído para a falha;
  • Ajuda a promover uma cultura focada na melhoria dos processos;
  • Entende as particularidades da Organização a qual se está inserido.

Sua Organização de Saúde trabalha bem com a gestão de riscos e de resultados? Já adota o Protocolo de Londres?

Se quiser conhecer mais sobre Gerenciamento de Riscos e Qualidade, clique no link abaixo no curso Comprehensive Care – Gerenciamento de Riscos Clínicos do Paciente – Identificação e manejo da deterioração aguda de pacientes.

E se sua empresa quiser saber mais detalhes sobre este assunto, conheça os nossos Cursos In Company da Trilha Gerenciamento de Riscos e Segurança do Paciente e solicite uma proposta.

Fonte da imagem: Freepik



Deixe uma resposta