OMS faz recomendação para reduzir a incidência de cesarianas

Nesta semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou uma Recomendação buscando diminuir a quantidade de partos cesáreas desnecessários ao redor do mundo. Este documento reconhece a necessidade urgente em abordar este assunto, uma vez que os números aumentam progressivamente ao longo dos anos, sem justificativas plausíveis.

É importante enfatizar que a cesariana é um procedimento cirúrgico e, portanto, invasivo para a mulher e bebê. O Brasil, segundo dados da OMS de 2016, é o segundo país com a maior taxa dessa intervenção no mundo, sendo apontado como um caso de “epidemia”.

Segundo a Organização, a taxa ideal de cesarianas fica entre 10 a 15% de todos os partos, pois apenas essa parcela de mulheres, de fato, necessitaria de intervenção cirúrgica para salvar a vida da mãe e/ou bebê. Contudo, o excesso desse procedimento pode, inversamente, colocar em risco a vida de ambos, a curto e longo prazo.

Por essa razão a Recomendação contempla os seguintes fatores:

  • Opiniões, medos e crenças dos profissionais e pacientes sobre o procedimento;
  • Dinamicidade e limitação das organizações de saúde para atendimento de gestantes;
  • Relação entre profissionais, instituição e pacientes.

 

Leia também: O que importa para a mulher no parto: uma revisão da experiência do paciente

 

E, assim, orienta, principalmente, que:

  • As mulheres e familiares sejam educados para que possam participar, conscientemente, do processo de decisão;
  • A instituição utilize diretrizes clínicas, auditorias de cesarianas e receba feedback dos pacientes sobre sua experiência;
  • Sejam feitos mais estudos sobre o assunto em conceitos pouco abordados como: procedimento colaborativo entre parteira e obstetras ou estratégias financeiras para igualar os valores entre partos naturais e cesarianas.

 

Além deste parecer, a OMS apoia o aumento de pesquisas que compreendam as particularidades de cada localidade em relação a cesariana, para que as orientações possam ser cada vez mais precisas e efetivas.

 

Inscreva-se no Curso do IBES que vai prover a expertise para a implementação de Escritórios da Qualidade em organizações de saúde!

Nesse episódio, Aléxia Costa comenta uma revisão sistemática publicada no Patient Experience Journal sobre como o envolvimento dos pais no cuidado de seus filhos na unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN) é criticamente importante:

 

Referência:

Nações Unidas no Brasil. OMS lança nova recomendação para reduzir número de cesarianas desnecessárias no mundo. 15 de outubro de 2018.

O Estado de São Paulo. Com novas recomendações, OMS tenta frear explosão de cesáreas. 15 de fevereiro de 2018.



Deixe um comentário