O que mudou na prática da avaliação ONA na vigência do novo Manual

O Manual ONA de 2014 foi substituído pelo de 2018. Isso significa que a partir deste mês de julho, o processo de Avaliação seguirá novos critérios. As principais mudanças nesse novo Manual foram referentes a clareza dos itens avaliados e dos resultados do processo. Segundo a Avaliadora, Educadora e Palestrante do IBES, Tatiana Lourenço, o Manual 2018 implica numa mudança de cultura “de uma avaliação subjetiva para uma avaliação objetiva”.

Para esclarecer algumas dúvidas frequentes, conversamos com Tatiana. Confira a entrevista:

 

  1. Quais foram as principais mudanças nos conceitos do Manual ONA versão 2018?

 

  • A principal mudança foi referente ao Sistema de Avaliação por Pontuação:

Anteriormente, os critérios eram classificados apenas como Conforme e Não Conforme. Agora cada requisito será qualificado como Supera, Conforme, Parcialmente Conforme, Não Conforme e Não se Aplica. Diante dessas determinações para cada subseção, a tabela irá gerar uma pontuação e definir automaticamente se o cliente está Acreditado ou não.

 

  • Esclarecimento de requisitos:

 

Muitos dos requisitos que eram ocultos, agora foram incluídos, melhorando o entendimento do cliente sobre os itens avaliados no processo de Acreditação.

  • Volta da subseção “Gestão da Qualidade e Segurança” (ocultada no Manual de 2014).
  • Incorporação das subseções que implicam em apresentar os riscos organizacionais (o qual não estava explícito no Manual de 2014).
  • Acréscimo de Fundamentos em Gestão de Qualidade: Cuidado Centrado no Paciente; Ética e Transparência; Natureza não Prescritiva.

 

  • Quantidade de avaliadores na visita será definida frente a quantidade de leitos do hospital:

 

Anteriormente, a proporção de avaliadores era definida de acordo com a quantidade de colaboradores da instituição.

  • Inclusão de novas subseções: “Medicina Oxigenoterapia Hiperbárica”; “Assistência Oncológica e Terapia Antineoplásica”.
  • Separação da seção Laboratório em duas subseções sobre “Análises Clínicas” e “Anatomia Patológica”.

Saiba mais em: Quais são as seções e subseções do novo Manual ONA versão 2018

 

 

2. Como é o sistema informatizado que gerencia as visitas de avaliação?

 

“O sistema informatizado sempre existiu no Integrare, o que mudou é a forma de alimentá-lo. Anteriormente, nós não tínhamos essa obrigatoriedade em fechar a pontuação por seção e subseção para o cliente, hoje sim. A classificação dos critérios passou de Conforme e Não Conforme para Supera, Conforme, Parcialmente Conforme, Não Conforme e Não se Aplica.

A avaliação continua sendo dividida em 3 níveis: Segurança; Gestão; Excelência e Inovação, mas, agora, logo após a visita, eu já direi o resultado do processo para o cliente e os seus próximos passos.”

 

 

3. De que forma os avaliadores realizam o novo formato das visitas de avaliação?

 

“Os avaliadores precisarão entender a nova metodologia de pontuação. Os requisitos foram aumentados. Avaliando requisito por requisito, eu passo a conhecer a área corretamente e consigo explicar para o cliente sobre cada critério avaliado. Quando um item é avaliado como “Não conforme”, eu preciso escrever a observação detalhando a questão, mas nas demais classificações, as sugestões podem ser feitas apenas ao final do relatório.

Para nós, avaliadores, a visita ficou mais complexa, mas para o cliente ficou muito mais fácil e claro.”

 

 

4. Onde as instituições podem buscar maiores informações?

 

Para quem já conhece o Manual ONA 2014, é possível fazer o curso de Atualização do Manual ONA 2018, o qual abordará as principais mudanças que ocorreram nas seções e subseções.

Inscrições em:

http://www.ibes.med.br/cursos/vi-curso-de-atualizacao-tecnico-cientifica-sobre-o-manual-ona-opss-versao-2018-sao-paulo-sp/

 

Para quem não tem conhecimento sobre o Manual ONA 2014, é possível fazer o curso de Formação de Avaliadores IBES, o qual abordará seção por seção e subseção por subseção.

Inscrições em:

http://www.ibes.med.br/cursos/xxix-curso-de-formacao-de-avaliadores-ibes-metodologia-sba-ona-sao-paulo-sp/

 

Também é possível realizar os cursos in-company, os quais são personalizados de acordo com cada área da saúde, abordando a Acreditação com foco na especialidade da instituição.

 

Entenda sobre o processo de Acreditação no vídeo abaixo:

 



Deixe um comentário