O que é o passaporte vacinal?

Não fique aí parado! Obtenha seu passaporte de vacinação… o vírus não pára!

Estamos vivendo em uma realidade onde os números apontam para um quadro de estabilidade nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e Covid-19 no país, com o enfraquecimento da pandemia. Foi divulgado nesta sexta-feira (1º/10) um boletim pela FioCruz que aponta o passaporte de vacinas como uma importante estratégia para estimular e ampliar a vacinação no Brasil.

Ao defender a adoção dessa iniciativa em todo o território nacional, o documento destaca o princípio do ponto de vista da saúde pública de que “a proteção de uns depende da proteção de outros e de que não haverá saúde para alguns se não houver saúde para todos”.

Mas por que ainda é tão importante esse passaporte se está havendo um enfraquecimento significativo de casos no Brasil? Porque o coronavírus responsável pela doença Covid-19 consegue sobreviver até 3 dias em algumas superfícies, como plástico ou aço.

Leia também: Novas regras para o uso de máscaras em aviões

Um estudo realizado por cientistas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), da Universidade da Califórnia, de Los Angeles e de Princeton, avaliou a resistência do vírus em cinco materiais diferentes, e mostra que o novo coronavírus fica “mais estável” em plástico e aço inoxidável, materiais bastante utilizados no dia a dia da população.

Foi verificado que este vírus sobrevive da seguinte maneira as superfícies:

  • Aço – a 21°C – 5 dias
  • Alumínio – a 21°C – 4 a 8 horas
  • Vidro – a 21°C – 5 dias
  • Plástico – temperatura ambiente – 2 a 6 dias
  • PVC – a 21°C – 5 dias
  • Borracha de silicone – a 21°C – 5 dias
  • Luva de latex – a 21°C – 8 horas
  • Cerâmica – a 21°C – 5 dias
  • Teflon- a 21°C – 5 dias

O mais importante é evitar tocar em superfícies com as quais muitas pessoas têm contato, o que inclui mesas, bancadas, maçanetas, interruptores, telefones, teclados, torneiras, etc. A limpeza das superfícies com desinfetante ou sabão é muito eficaz.

A capacidade do vírus de sobreviver por tanto tempo apenas ressalta a importância da vacinação e de continuar com os processos de higienização das mãos.

A redução do impacto da pandemia de modo mais duradouro somente será alcançada com a intensificação da campanha de vacinação, a adequação das práticas de vigilância em saúde, reforço da atenção primária à saúde, além do amplo emprego de medidas de proteção individual, como o uso de máscaras e o distanciamento social.

Saiba mais sobre esse tema conhecendo nosso programa COVID FREE.

Fonte da imagem: Freepik

Fonte: Ministério da Saúde



Deixe uma resposta