Critérios para triagem dos doadores de tecidos humanos durante a pandemia

A Anvisa acaba de disponibilizar a Nota Técnica 18/2021, que atualiza as orientações gerais para os bancos de tecidos humanos referentes ao enfrentamento da pandemia provada pelo novo coronavírus.   

As principais novidades da publicação se referem à revisão dos critérios a serem aplicados na triagem clínica, social e laboratorial dos doadores de tecidos, com o objetivo de precaução em relação ao risco teórico de transmissão do vírus pelo transplante de tecidos humanos.   

Além disso, o documento apresenta critérios para a doação de tecidos por indivíduos que foram vacinados contra a Covid-19. Confira abaixo as orientações da Agência:   

  1. I) Indivíduo com infecçãosuspeita ou confirmada por Sars-CoV-2, há menos de 28 dias: contraindicação absoluta para a doação de tecidos. 
  2. II) Indivíduo que manteve contato com casos suspeitos ou confirmados, há menos de14 dias: contraindicação absoluta para a doação de tecidos.  

Leia também: ANVISA publica novas regras para Bancos de Tecido Humano

III) Indivíduo que teve infecção, suspeita ou confirmada, com regressão completa dos sintomas há mais de 28 dias: apto para a doação.  

  1. IV) Indivíduo sem suspeita clínica e sem contato com casos suspeitos ou confirmados de Covid-19 há mais de 14 dias: apto para a doação. 
  2. V) Indivíduo que tenha viajado ou residido, nos últimos 14 dias, em área com alta incidência de casos de Covid-19 (nacional ou internacional): contraindicação relativa. 
  3. VI) Indivíduo vacinado para Covid-19: 

1 – 48 horas de inaptidão para a doação de tecidos após o uso de vacinas baseadas em vírus Sars-CoV-2 inativado ou fragmento proteico sintético;

2 – Sete dias de inaptidão para a doação de tecidos após o uso de vacinas baseadas em vetores virais recombinantes não replicantes e de vacinas que utilizam RNA mensageiro (mRNA) ou DNA. 

Isso se aplica às vacinas com registro sanitário no Brasil ou autorização de uso emergencial aprovada pela Anvisa.  

Por exemplo, recomenda-se a inaptidão temporária de 48 horas após o uso da CoronaVac (Sinovac/Butantan) e de sete dias após o uso da Covishield (AstraZeneca/Oxford/Fiocruz) e da Comirnaty (Pfizer/Fosun Pharma/BioNTech).   

Por fim, vale a pena destacar que essas orientações estão em consonância com o Ministério da Saúde (MS) e devem ser aplicadas em conjunto com aquelas emitidas pela Coordenação Geral do Sistema Nacional de Transplantes (CGSNT) do MS. Nesse sentido, informa-se que elas são baseadas nas evidências científicas disponíveis, podendo ser alteradas a qualquer momento.    

Clique aqui e confira a íntegra da Nota Técnica 18/2021. 

Fonte da imagem: Freepik
Fonte da notícia: ANVISA



Deixe uma resposta