Como seus dados podem ser abusados na Internet e como se proteger?

Como seus dados podem ser abusados na Internet e como se proteger?

O cotidiano do mundo moderno faz com que todos nós preenchamos um cadastro a toda hora, seja na internet ou no mercado para garantir um pequeno desconto. Mas, o que acontece depois que você faz esses cadastros? Seus dados podem ser abusados na Internet. Como se proteger?

Dados de cadastros, biográficos, profissionais, financeiros e de navegação são apenas alguns exemplos de dados referentes a você que, diariamente, circulam por diversas redes e são armazenados em diferentes sistemas, dispositivos e mídias.

Infelizmente, há situações em que seus dados podem ser perdidos, indevidamente acessados ou até mesmo coletados e vendidos sem você ter ciência disso.

No Brasil, em 2021, mais de 220 milhões de pessoas tiveram seus dados pessoais vazados, de acordo com um relatório da empresa de cibersegurança, Syhunt, expondo essas pessoas a possíveis situações de danos financeiros e morais.

Existem diversos tipos de vazamentos, com objetivos variados e realizados de diferentes formas. Assustador, não é mesmo?

Leia também: Adequar-se à LGPD na prática fará toda a diferença para sua organização

Para tentar evitar essas situações, proteger seus dados e assegurar que eles sejam tratados de forma adequada há um conjunto de mecanismos de segurança que você pode usar. Por exemplo, o uso de senhas fortes impede o acesso indevido às contas e a criptografia dificulta que seus dados sejam acessados e alterados indevidamente.
Confira algumas dicas para prevenir certas fraudes e vazamento de seus dados:

  • Mantenha os softwares de seu computador e smartphone sempre atualizados, especialmente os programas antivírus. Procure também instalar programas de firewall e criptografia que ajudem a manter seus dados seguros.
  • Fique atento ao recebimento de mensagens não solicitadas que peçam informações pessoais ou download de arquivos. Se for de alguma instituição, entre em contato por telefone para se certificar se a mensagem é autêntica. Nunca preencha formulários ou baixe arquivos sem ter certeza de sua procedência.
  • Não utilize senhas fáceis de serem reproduzidas ou relacionadas a você, como sua data de aniversário ou de pessoas próximas. Procure criar senhas aleatórias, que misturem letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais.
  • Não utilize computadores públicos para acessar informações sigilosas, como dados bancários. Essas máquinas podem estar programadas para reter informações como número da conta e senha de acesso. O mesmo vale para a utilização de redes de Wi-Fi públicas. Ao acessá-las, evite entrar em conteúdo sigiloso e digitar senhas, pois elas podem estar sendo capturadas sem você perceber.

Por isso, é aconselhável limitar a quantidade de dados que você compartilha nas redes sociais. Quanto mais informações você publicar, mais dados estarão disponíveis para ações de má-fé.

A LGPD foi criada para que o indivíduo tenha controle sobre seus dados pessoais e saiba como esses dados são tratados por organizações públicas, privadas e terceiros. Ela dá a você o direito de saber exatamente como seus dados são tratados, quais dados são coletados e o porquê e com quem eles são compartilhados.

Organizações públicas e privadas devem disponibilizar informações claras que o ajudem a compreender os termos de consentimento e as bases legais que apoiam o tratamento dos seus dados A LGPD traz maior segurança jurídica, ao fornecer mecanismos para você ter controle sobre quais dados seus são coletados e como são usados.

Fonte da imagem: Freepik



Deixe uma resposta