Anvisa publica a 4ª edição do Manual de Biovigilância

Anvisa publica a 4ª edição do Manual de Biovigilância

O foco é a vigilância de eventos adversos relacionados a transplantes, enxertos e reprodução humana assistida

A Agencia Nacional de Vigilância sanitária (Anvisa) acaba de disponibilizar a 4ª edição do Manual de Biovigilância, a qual orienta os profissionais de saúde e das Vigilâncias Sanitárias sobre a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 339/2020, que instituiu o Sistema Nacional de Biovigilância.

 

Leia mais: Anvisa propõe sistema para monitorar eventos adversos relacionados a doação e o transplantes

 

O objetivo da biovigilância é cuidar da qualidade e do monitoramento dos processos relacionados ao ciclo de células, tecidos e órgãos humanos. O manual apresenta os conceitos e procedimentos para a vigilância de eventos adversos relacionados a transplantes, enxertos e reprodução humana assistida.

 

 

Sistema Nacional de Biovigilância

A biovigilância desempenha um papel fundamental na qualificação do cuidado e segurança dos receptores e doadores de células, tecidos e órgãos humanos.

A experiência já adquirida por vários países demonstra que os sistemas de vigilância podem reduzir a morbidade e a mortalidade dos pacientes.

No Brasil, essa área abrange um conjunto de ações de monitoramento e controle, que vai desde a doação até a evolução clínica do receptor e do doador vivo.

O objetivo da biovigilância é obter e disponibilizar informações sobre riscos e eventos adversos, além de prevenir sua ocorrência ou recorrência.

O Sistema Nacional de Biovigilância (SNB) é formado por todos os entes do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) e pelos estabelecimentos e profissionais de saúde que desenvolvem atividades relacionadas com o ciclo de células, tecidos e órgãos humanos.

 

Fonte da imagem: Envato

Fonte: ANVISA

 



Deixe um comentário