A OMS atualizou novas diretrizes globais sobre atividade física

A OMS atualizou novas diretrizes globais sobre atividade física

Aumentar os minutos de atividade física moderada ao longo da semana para combater o risco de morte precoce associado ao sedentarismo. É isso que indica a Organização Mundial da Saúde, em novas diretrizes globais sobre atividade física e comportamento sedentário.

Recomenda-se que os adultos aumentem o tempo de atividade física semanal para 300 minutos até uma hora de exercícios por cinco dias ou façam 150 minutos de atividade física intensa por semana, quando não houver contraindicação.

Mas o porquê dessa recomendação?

A OMS explica que a atividade física regular pode prevenir e ajudar a controlar doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e câncer, que causam quase três quartos das mortes em todo o mundo. A atividade física também pode reduzir os sintomas de depressão e ansiedade e melhorar o pensamento, a aprendizagem e o bem-estar geral.

Uma nova pesquisa feita recentemente, envolveu mais de 44 mil pessoas de quatro países e 40 cientistas de todo o mundo, e revelou que a alta taxa de sedentarismo está ligada a um risco significativo de morte, particularmente entre as pessoas fisicamente inativas.

“Há uma necessidade urgente de proporcionar às pessoas melhores oportunidades de viver uma vida ativa e saudável. Hoje, a possibilidade de as pessoas participarem de atividades físicas é desigual e injusta. Essa desigualdade só piorou durante a pandemia de COVID-19”, disse Zsuzsanna Jakab, diretora-geral adjunta da OMS.

Até 5 milhões de mortes por ano podem ser evitadas se a população global aumentar seu ritmo de exercícios, no entanto, muitos vivem em áreas com pouco ou nenhum acesso a espaços onde possam caminhar, correr, andar de bicicleta ou praticar outras atividades físicas com segurança, sendo um grande empecilho nos dias de hoje.

Leia também: Contribua para o Guia de Atividade Física do Ministério da Saúde

Pensando nesse cenário, Fiona Bull, chefe da Unidade de Atividade Física da OMS, tomou uma iniciativa e disse que o relatório é informado pelas percepções e experiências, e está de acordo com as políticas da OMS. Ele fornece mensagens claras a todos  que trabalham para criar uma sociedade mais ativa sobre o que precisamos fazer.
Visto a essas necessidades, a OMS está convocando as indústrias, a sociedade civil e os governos, bem como as agências da ONU, para construir uma visão comum para a criação de sociedades mais ativas por meio do esporte, caminhadas, ciclismo e jogos.

Fiona Bull, vem alertando os governos para investir em ações que estimulem a atividade física.
“As estimativas globais mais recentes mostram que um em cada quatro (27,5%) adultos e mais de três quartos (81%) dos adolescentes não atendem às recomendações para exercícios aeróbicos, conforme descrito nas Recomendações Globais de 2010”.

Propostas que fazem a diferença e são soluções imediatas incluem campanhas comunitárias sustentadas, programas inclusivos em comunidades locais e ambientes mais seguros que apoiam mais caminhadas e ciclismo para todos.

A OMS incentiva os países a estimular as ações políticas pautadas no plano de ação global da OMS sobre atividade física 2018-2030 para chegar à meta de um aumento da atividade física em 15% até 2030.

Fonte da imagem: Freepik

Fonte: Ministério da Saúde



Deixe uma resposta