Mais de 1,4 mil leitos de UTI foram criados em todo o país

O Ministério da Saúde ampliou em 39% (1.424) o número de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), em relação a 2018, para atender casos mais graves de crianças e adultos nos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS). Com a medida, foram zerados todos os pedidos de habilitação de leitos solicitados pelos estados em 2019, totalizando investimento de R$ 185,6 milhões. Com esse reforço, a população passou a contar com 23 mil leitos de UTI Adulto e Pediátrico em todo o país. São novas vagas para reforçar o atendimento nos serviços de urgência e emergência e nos hospitais especializados.

Os leitos de UTI são destinados a acolher diferentes públicos em estado grave com chances de sobrevida e que precisam de monitoramento constante (24 horas). Assim, dos 1.424 novos leitos, 729 são destinados a pacientes adultos, sendo 687 leitos de UTI e 42 em unidades coronarianas; e 695 voltados para o atendimento de crianças. Esse total está dividido em 142 novos leitos pediátricos, 159 neonatal, 287 em Unidade de Cuidados Intermediários Convencionais (UCINCo) e 107 em Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (UCINCa).

Todas as cinco regiões do país foram contempladas. No Centro-Oeste, o Ministério da Saúde habilitou 99 leitos, sendo 56 do tipo adulto, 30 pediátrico, sete neonatal e seis unidades coronarianas. No Nordeste foram 297 leitos, das quais 221 adulto, 34 do tipo pediátrico, 20 neonatal, 10 unidades coronarianas, 47 em UCINCo e 32 em UCINCa. Já para o Norte, a pasta habilitou 190 leitos, sendo 105 do tipo adulto, 35 pediátrico, 24 neonatal, um em unidade coronariana e 20 UCINCo.

Na Região Sudeste foram 300 leitos de UTI, dos quais 184 são leitos adultos, 13 pediátricos, 78 neonatal, 25 coronarianos, 203 UCINCo e 67 UCINCa. Na região Sul foram habilitados 144 UTIs, sendo 121 do tipo adulto, 10 do tipo pediátrico, 13 neonatal, 17 UCINCo e oito UCINCa.

ABERTURA DE NOVOS LEITOS

O funcionamento de novos leitos deve ser solicitado pelos gestores locais (estados e municípios). A habilitação e a liberação de recursos são feitas mediante apresentação de projetos, que são analisados pelo Ministério da Saúde. O gestor local também tem autonomia para ampliar o número de leitos com recursos próprios, a partir de sua avaliação em relação a demanda/necessidade X capacidade instalada de oferta assistencial.  Já a habilitação de leitos pelo Ministério da Saúde assegura recursos adicionais para o custeio do serviço.

Silvia Pacheco, da Agência Saúde

 

Fonte: Ministério da Saúde

 

Formação de Avaliadores - Fevereiro

Capacitar o profissional de saúde para atuar como Avaliador do Sistema Brasileiro de Acreditação (ONA) para realizar avaliações do sistema de gestão da qualidade de hospitais, laboratórios, clínicas ambulatoriais, bancos de sangue, serviços de diagnóstico por imagem e demais serviços de saúde. Prover a expertise necessária para implantação dos padrões e requisitos do Manual ONA versão 2018 nas instituições de saúde, com foco na Acreditação do Sistema Brasileiro de Acreditação/ONA.

Muitos profissionais de saúde envolvidos com a implantação do Processo de Acreditação também se sentem estimulados em realizar este curso com o objetivo de aprender sobre o que é exigido numa visita de avaliação, em cada uma das áreas (subseções) de uma organização de saúde (não tendo o objetivo de ser Avaliador). Estes profissionais também são bem-vindos neste curso!



Deixe uma resposta