Família como parceira na Segurança do Paciente: fatores positivos e barreiras

O engajamento do paciente e seus familiares no cuidado já se mostrou, em diversos estudos, essencial para melhorar a qualidade dos serviços de saúde assim como a segurança do enfermo.

Uma pesquisa realizada pelo Patient Experience Journal entrevistando pacientes sobre sua perspectiva acerca do sistema de saúde, identificou 3 fatores positivos e 3 barreiras na tentativa de parceria com os profissionais.

Os fatores positivos foram:

 

  • Respeito mútuo dos papéis que cada um desempenha no cuidado.
  • Defesa familiar e cumprimento das regras.
  • Oferecer cuidado de qualidade, capacidade de adaptação empática e comunicação transparente sobre as expectativas.

 

 

Leia também: Como distrações e interrupções afetam a Segurança do Paciente

 

Já as barreiras identificadas foram:

 

  • Falta de respeito.
  • Diferentes percepções dos parentes e profissionais sobre os riscos e a falta de disponibilidade do parente.
  • Erros assistenciais do profissional e comunicação inconsistente; falta de engajamento, habilidades e tempo; e medo de informação exagerada.

 

Com essas conclusões do estudo, é possível criar novas estratégias para superar as dificuldades e aprimorar os pontos positivos. Uma parceria segura precisa de um sistema informatizado que dê suporte, treinamento profissional, educação dos pacientes e familiares.

Descubra se promove um cuidado seguro no Curso “Gerenciamento de Riscos e Implantação do Núcleo de Segurança do Paciente”, que ocorrerá nos dias 03 e 04 de setembro em São Paulo/SP. INSCREVA-SE:

http://www.ibes.med.br/cursos/gerenciamento-de-riscos-e-implantacao-do-nucleo-de-seguranca-do-paciente-sao-paulo-sp/


Neste episódio do canal Excelência em Saúde, Aléxia Costa comenta métodos para o fortalecimento da cultura de segurança do paciente.

 

Referência:

Rebecca E. Rosenberg, Emily Williams, Neesha Ramchandani, etc. Provider Perspectives on Partnering With Parents of Hospitalized Children to Improve Safety. Patient Experience Journal. 2018.



Deixe uma resposta