Como encarar o medo, o estresse e o esgotamento mental em tempos de pandemia

Fonte: freepik

 

Há muito tempo é reconhecido o problema de que os profissionais de saúde têm apresentado níveis crescentes de esgotamento físico e mental. A pandemia de Covid-19 tem o efeito de abrir uma ferida antiga. Com a escassez mundial de equipamentos de proteção, as chances de infecção são altas.

Para completar, eles precisam tomar decisões que nunca haviam enfrentado antes, como decidir quem deve receber cuidados críticos quando não houver mais ventiladores suficientes para ajudar a salvar todos os pacientes. O sistema de triagem é uma prática nova e confusa.

Pesquisadores na China conduziram um estudo transversal publicado no JAMA Network Open Journal em março de 2020, envolvendo 1257 profissionais de saúde durante a pandemia de coronavírus e relatou resultados preocupantes:

  • 50,4% apresentaram sintomas de depressão,
  • 34,0% relataram insônia,
  • 44,6% relataram sintomas de ansiedade e
  • 71,5% relataram sofrimento;

Os líderes estão aconselhando os profissionais de saúde a pensar na pandemia como uma maratona, não como uma corrida. Mas por quanto tempo os profissionais de saúde podem aguentar essas condições desafiadoras?

Se você perguntar a qualquer especialista no tema burnout, ele afirmará que não há pílula mágica – sair do burnout é um processo contínuo de recarga e desestressamento.

Inscreva-se: 1º Fórum Nacional On-line de Enfrentamento ao Coronavírus

Comece sendo compassivo consigo mesmo. Você está trabalhando em circunstâncias incomuns, sob grande estresse e medo palpável. Você tem todo o direito de se sentir assustado, ansioso e exausto. Você não é mais fraco ou menos altruísta por ter esses sentimentos. Trate-se gentilmente e reconheça seus sentimentos, não seja culpado por eles.
O Dr. Haidar Al-Hakim, oftalmologista, autor e especialista em esgotamento médico sediado no Reino Unido, publicou alguns conselhos aos profissionais de saúde que tentavam enfrentar esses momentos difíceis. Estas são as suas recomendações:

Lembre-se da sua missão
Para combater os efeitos estressantes da crise, examine profundamente o seu “porquê”. “Lembre-se de por que você escolheu esse caminho”, diz o Dr. Haidar. “Precisamos aprender a aceitar nosso presente pelo que é e ter fé de que tudo acontece por uma razão”, acrescenta.

Crie sua resiliência
A resiliência ajudará você a se recuperar de situações estressantes. Isso ajudará você a ver as dificuldades como desafios e a se tornar proativo em sua resposta. Resiliência é uma característica que pode ser aprendida através da prática. O Dr. Haidar recomenda a construção de resiliência através do seu método preferido, seja físico, psicológico ou espiritual, para ajudá-lo a enfrentar as adversidades. Os exemplos incluem: ioga, grupos de apoio, meditação, exercícios respiratórios e registro em diário.

Concentre-se no presente
“Tudo o que você está passando terminará, e focar no presente lhe dará a chance de ser o seu melhor”, diz o Dr. Haidar. Tente não pensar nas semanas ou meses seguintes. Concentre-se em fazer o melhor que puder com os meios que tiver – agora. Não se preocupe com coisas que estão fora de seu controle.

Seja realista, mas mantenha-se positivo
É fácil se afogar em conversas negativas. “Recupere sua narrativa interna e mude-a de narrativa de medo, divisão e destruição para narrativa de construção, cura e fé”, diz o Dr. Haidar. Antecipe dificuldades, mas não deixe que elas o dominem. A qualidade do atendimento pode ser afetada, mas tempos extraordinários requerem medidas extraordinárias. Lembre-se dos pacientes que ajudou a recuperar e dos que ajudou a confortar nos momentos mais difíceis. O que é mais sagrado do que uma vida, e o que é mais nobre do que salvar uma?

Pratique o autocuidado
A OMS aconselha os profissionais de saúde a cuidarem de si mesmos, comerem alimentos saudáveis, permanecerem ativos e descansarem o suficiente entre os turnos. Eles também recomendam desestressar de maneira saudável e evitar fumar ou drogas. Tente caminhar para casa, se possível, e, ao fazê-lo, interrompa deliberadamente os pensamentos relacionados ao seu dia de trabalho. Assistir a um filme engraçado ou ouvir música suave pode ajudar a melhorar o seu humor. Conecte-se com seus entes queridos, mesmo que seja apenas por videochamada. O registro num diário pode ser muito eficaz e até terapêutico para lidar com o estresse.

Pratique Gratidão
Conte suas bênçãos. Mesmo nos tempos mais sombrios, temos coisas pelas quais agradecer. Seja sua saúde, sua família, seu trabalho significativo. Ser grato ajudará você a passar por momentos difíceis.

O burnout é comum e o risco é ainda maior nos profissionais de saúde da linha de frente. Siga conselhos de especialistas em autocuidado, pratique o desestressamento, tenha conversas positivas e se concentre no presente para ajudá-lo a combater o desgaste. Entre em contato com seus colegas para obter apoio psicológico. Vocês estão nisso juntos. Se você se sentir sobrecarregado, não hesite em procurar ajuda profissional. E mesmo que não pareça quando você está no fundo das trincheiras, tenha certeza de que há luz no fim do túnel.

Referências:
• WMA leader warns of global physician burnout. WMA press release. October 5, 2018.
• Lai J et al. Factors Associated With Mental Health Outcomes Among Health Care Workers Exposed to Coronavirus Disease 2019. JAMA Netw Open. 2020;3(3).
• Peltz J, Forliti A, Rising D, New York gets Chinese ventilators; Trump wants more thanks. AP News, April 4, 2020.
• Nakagawa JT, This Is What Keeps Doctors Going During a Pandemic. Elemental. March 19, 2020.
• Mental health and psychosocial considerations during the COVID-19 outbreak. World Health Organization. [PDF] March 18, 2020.
• Dr. Marwa Saleh. A Double Whammy: The COVID-19 Pandemic and Burnout in Medical Professionals. Harvard Medical School. April 9, 2020.

Já conhece os Cursos In-Company IBES com transmissão ao vivo?

Fonte: ANVISA



Deixe uma resposta