7 perguntas que você precisa se fazer para saber se sua instituição promove o Cuidado Centrado no Paciente

A Australian Commission on Safety and Quality in Healthcare (Comissão Australiana de Segurança e Qualidade na Assistência à Saúde) elaborou uma lista de 7 questões a serem feitas para que o colaborador identifique se sua organização já está alinhada às práticas que colocam o paciente no centro do cuidado. São elas:

 

QUERO ME INSCREVER NO II FÓRUM DE PRÁTICAS DE EXCELÊNCIA EM SEGURANÇA DO PACIENTE E II ENCONTRO DA GERAÇÃO DE EXCELÊNCIA

 

1. Como são tomadas as decisões que afetam o paciente?

De acordo com o conceito central do Cuidado Centrado no Paciente, ele deve agir sobre as decisões que lhe afetam de alguma forma. Portanto, os tratamentos viáveis/possíveis daquele paciente devem ser repassados ao enfermo, discutidos junto aos colaboradores para uma conclusão que respeite os valores individuais do cidadão assim como da instituição.

2. Como é o relacionamento entre colaboradores e pacientes?

No Cuidado Centrado no Paciente não basta um relacionamento técnico, frio e distanciado. A prática exige colaboradores comprometidos com o paciente que se relacionem com ele de forma humana: oferecendo assistência psicológica e emocional, gerando confiança mútua e respeito pelos valores do paciente e da organização.

 

Leia também: O que é Testamento Vital e como ele está ligado ao cuidado centrado no paciente

 

3. O que os pacientes precisam fazer para ter acesso à informação?

O conhecimento dos profissionais deve ser repassado para os pacientes mediante cada caso e possíveis procedimentos de solução. Assim como as pesquisas e resultados da instituição devem estar disponíveis online para checagem rápida e fácil pelos pacientes quando necessária. A comunicação entre ambas as partes deve ser transparente.

4. Quais são as medidas tomadas em relação a reclamações?

Seja destinada a instituição ou a profissionais dela, as reclamações devem ser compiladas e avaliadas dentro da organização a fim de compará-las e perceber reincidências. E de acordo com esses resultados, a organização deve criar medidas efetivas para evitar que esses fatos se repitam.

5. Há avaliações sobre o desempenho de cada setor da instituição?

O Cuidado Centrado no Paciente propõe uma educação contínua, com melhorias contínuas ao setor de saúde e portanto necessita de avaliações métricas para definir quais os pontos primordiais a serem aperfeiçoados. O levantamento deve ter periodicidade para que se possa comparar a evolução de cada tópico assim como a efetividade das medidas para aprimorá-los.

 

Leia também: Cuidado Centrado no Paciente como elemento da qualidade da assistência

6. Como é o ambiente em que realiza seu trabalho?

O ambiente de trabalho necessita ser acolhedor para os colaboradores. É impossível que eles acolham o paciente bem quando não se sentem acolhidos pela instituição. Dessa forma, precisa haver confiança dentro da equipe e abertura para o diálogo.

7. Qual é a qualidade do atendimento?

O Cuidado Centrado no Paciente tem por finalidade máxima o aumento da qualidade do serviço prestado. Não basta envolver o paciente. Não basta divulgar todas as informações. Não basta ter uma equipe unida e capacitada. É necessário que todos esses fatores estejam combinados com o esforço em oferecer um serviço de alta qualidade, que alcance resultados positivos tanto para o paciente quanto a instituição.

Seguindo as diretrizes citadas acima, a instituição executará o Cuidado Centrado no Paciente de forma completa!

Aprofunde-se no tema participando do II Fórum Práticas de Excelência para a Segurança do Paciente nos dias 20 e 21 de julho em São Paulo.
Vagas limitadas: www.foruminternacionalibes.com.br

Confira no Canal de Excelência em Saúde mais sobre tecnovigilância!

Toda quinta-feira, por volta das 21:00h, você poderá discutir o assunto do dia (temas ligados à Gestão da Qualidade e Segurança do Paciente) e esclarecer dúvidas, bem como conferir entrevistas exclusivas com os convidados do IBES!

 

Participe do próximo VI Curso de Atualização Técnico-Científica sobre o Manual ONA OPSS Versão 2018

Inscreva-se já!

 

Referência:
Australian Commission on Safety and Quality in Healthcare. Cuidado Centrado no Paciente: Melhorando a Qualidade e Segurança focando no cuidado aos pacientes e consumidores. 2010.