6 etapas do processo de melhoria da Cultura de Segurança do Paciente

O conceito de Cultura de Segurança surgiu com o desastre de Chernobyl em 1998, envolvendo a explosão de um reator nuclear, e foi, posteriormente, implementado ao contexto da saúde, construindo o termo Cultura de Segurança do Paciente. Ao longo dos anos, esta prática tem se mostrado muito importante e eficaz no aumento da qualidade do serviços, recebendo cada vez mais destaque.

A Cultura de Segurança do Paciente é entendida como o produto de valores, atitudes, competências e comportamentos da equipe que demonstram o compromisso e competência da organização em garantir a segurança dos enfermos. Por essa razão, as 7 dimensões desta prática, segundo Michelle Halligan (em artigo publicado no British Medical Journal), são:

 

  • Liderança segura;
  • Trabalho em equipe;
  • Notificação de eventos adversos;
  • Abordagem não punitiva frente à notificação e análise de eventos adversos;
  • Comunicação aberta e baseada em confiança;
  • Aprendizado;
  • Compartilhamento das crenças organizacionais.

 

 

Confira também: Ciclos de melhoria para fortalecer a cultura de segurança do paciente

 

Essas dimensões englobam aspectos como: flexibilidade, resiliência, justiça, conhecimento, sensibilidade, satisfação, clima organizacional, engajamento e responsabilidade, constituindo 6 etapas para a implantação do processo de melhoria da Cultura de Segurança do Paciente:

  1. Acesso à Cultura de Segurança do Paciente;
  2. Oferecimento de uma educação científica/técnica segura sobre o tema, aos colaboradores;
  3. Identificação das preocupações referentes à segurança;
  4. Estabelecimento de parcerias entre lideranças e unidades;
  5. Aprendizado mensal a partir de um erro/falha na segurança;
  6. Reanálise da cultura.

 

 

 

 

Assim, a melhoria na Cultura de Segurança do Paciente depende de intervenções multifacetadas aplicadas concomitantemente ao longo de um período. Sendo estas intervenções relacionadas às dimensões aqui já mencionadas.

 

A cultura de segurança do paciente é uma cultura de aprendizado que está constantemente melhorando a segurança do paciente. Saiba mais no CURSO “Nível 3: Estratégias para alcançar a Excelência”, que ocorrerá no dia 19 de outubro em São Paulo/SP. INSCREVA-SE e garanta a sua vaga aqui!


Neste episódio, Aléxia Costa comenta a importância da segurança do paciente mesmo na atenção primária:

 

Referência:

Michelle Halligan. Safety Culture in Healthcare: A review of concepts, dimensions, measures and progress. BMJ Quality Safety. 2011.



Deixe uma resposta