Ícone do site Grupo IBES

Resolução da ANS estabelece critérios quando houver divergência clínica entre operadora e profissionais de saúde

Resolução da ANS estabelece critérios sobre formação de junta médica e odontológica quando não houver acordo entre operadora e o profissional de saúde.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), anunciou ontem (28/08), que a RESOLUÇÃO NORMATIVA – RN N.º 424, DE 26 DE JUNHO DE 2017, Já está em vigor. A Norma estabelece critérios para a formação de junta médica e odontológica quando houver divergência sobre procedimentos clínicos entre operadoras e profissionais de saúde.

A norma estabelece ainda que as operadoras deverão notificar o beneficiário a respeito da necessidade de formação de junta médica ou odontológica e que elas também deverão registrar, armazenar e disponibilizar à ANS, quando requisitadas, as informações e os dados relacionados às juntas médicas ou odontológicas realizadas.

Principais regras para formação de junta médica e odontológica

 

Quando não se admite a formação de junta médica

A construção da norma foi feita em parceria com representantes de prestadores de serviços de saúde, de operadoras e contou com a participação do Ministério Público e da Defensoria do Estado do Rio de Janeiro.

 

Leia Também:

Esclareça suas dúvidas com as Perguntas e Respostas sobre Nutrição Enteral

Projeto do Ministério da Saúde pretende capacitar profissionais em hospitais públicos

 

Sair da versão mobile