Recomendações da OPAS/OMS para controlar os casos de Sarampo

Foram notificados 1.115 casos de Sarampo em onze países da América neste ano. A situação preocupa a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), que publicaram esta semana recomendações às autoridades para evitar que um surto da doença se espalhe pelo continente. Confira abaixo as principais ações sugeridas pela OPAS/OMS.

 

QUERO ME INSCREVER NO II FÓRUM DE PRÁTICAS DE EXCELÊNCIA EM SEGURANÇA DO PACIENTE E II ENCONTRO DA GERAÇÃO DE EXCELÊNCIA

 

Recomendações às autoridades

Tendo em vista as contínuas importações do vírus de outras regiões do mundo e os surtos em curso nas Américas, a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde incentiva os países a:

  • Vacinar a população para manter uma cobertura homogênea de 95% com a primeira e a segunda dose da vacina contra sarampo, caxumba e rubéola em todos os municípios.
  • Vacinar populações em risco (sem comprovação de vacinação ou imunidade contra sarampo e rubéola), como profissionais de saúde, pessoas que trabalham com turismo e transporte (hotelaria, aeroportos, motoristas de táxi, etc.) e viajantes internacionais.
  • Manter uma reserva de vacinas contra sarampo e rubéola e de seringas para controle de casos importados em cada país da Região.
  • Fortalecer a vigilância epidemiológica para detecção oportuna de todos os casos suspeitos de sarampo e garantir que as amostras sejam recebidas por laboratórios dentro de cinco dias após serem tomadas.
  • Fornecer uma resposta rápida frente aos casos importados de sarampo, com o objetivo de evitar o restabelecimento da transmissão endêmica (ou seja, que existe de forma contínua e constante dentro de uma determinada região). Uma vez ativada a equipe de resposta rápida, deve-se assegurar uma coordenação permanente entre os níveis nacionais e locais, com canais de comunicação permanentes e fluidos.
  • Identificar fluxos migratórios do exterior (chegada de estrangeiros) e fluxos internos (movimentos de grupos populacionais) em cada país, a fim de facilitar o acesso aos serviços de vacinação, de acordo com os calendários nacionais de imunização.

Além disso, tendo em vista a proximidade de grandes eventos esportivos, a OPAS/OMS recomenda aos seus Estados Membros que aconselhem a vacinação contra sarampo e rubéola, preferencialmente com a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), a todos os viajantes com mais de 6 meses de idade que não puderem comprovar vacinação ou imunidade. E é importante que isso seja feito pelo menos duas semanas antes de viajarem para áreas onde a transmissão do sarampo foi registrada.

 

Já estão abertas as inscrições para o 2º Fórum Práticas de Excelência do IBES e 2º Encontro da Geração de Excelência.

 

Confira o Canal de Excelência em Saúde!

No QualiTips, Aléxia Costa explica como você, profissional de saúde, pode ajudar a OMS a atingir os 5 desafios globais para reduzir 50% dos danos evitáveis com medicamentos. Acompanhe e compartilhe com seu amigos!

 

Participe do próximo Gerenciamento de Indicadores para a Excelência de Desempenho
Inscreva-se já!

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: OPAS/OMS