Entenda porquê a OMS passou a recomendar a vacinação contra a febre amarela para viajantes internacionais que visitarão a Região Sul

A partir de hoje, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a todos viajantes internacionais que se vacinem contra a febre amarela antes de visitar qualquer área dos estados da Região Sul do país (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). Até então, algumas partes desses estados não eram consideradas de risco para a doença.

 

QUERO ME INSCREVER NO II FÓRUM DE PRÁTICAS DE EXCELÊNCIA EM SEGURANÇA DO PACIENTE E II ENCONTRO DA GERAÇÃO DE EXCELÊNCIA

 

A decisão foi tomada devido os números apresentados nos últimos meses sobre a febre amarela no Brasil. Entre 1 de julho de 2017 e 2 de maio de 2018, foram confirmados no país 1.257 casos de febre amarela, incluindo 394 óbitos.

No mesmo período, foram notificados 19 casos confirmados de infecção pelo vírus causador dessa doença entre viajantes internacionais não vacinados, incluindo três detectados no Brasil e 16 na Alemanha, Argentina, França, Holanda, Reino Unido, Romênia e Suíça. Pelo menos nove desses 19 casos relatados haviam viajado para Ilha Grande, no município de Angra dos Reis (no estado do Rio de Janeiro).

 

Leia também: 10 milhões de pessoas em áreas de risco ainda não tomaram a vacina contra a Febre Amarela

 

Analisando este cenário, tudo leva a crer que a disseminação do vírus causador da doença continue ao longo do ecossistema da Mata Atlântica no estado de São Paulo, em direção ao Paraná e aos outros dois estados do sul do país (Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

As pessoas que moram no Brasil devem seguir as recomendações das autoridades nacionais de saúde. Em março deste ano, o Ministério da Saúde do país anunciou que todo o território brasileiro será área de recomendação para vacina contra a febre amarela. A medida está sendo feita de forma gradual e deve ser concluída até abril de 2019.

 

Já estão abertas as inscrições para o 2º Fórum Práticas de Excelência do IBES e 2º Encontro da Geração de Excelência.

 

Confira o Canal de Excelência em Saúde!

No QualiTips, Aléxia Costa explica como você, profissional de saúde, pode ajudar a OMS a atingir os 5 desafios globais para reduzir 50% dos danos evitáveis com medicamentos. Acompanhe e compartilhe com seu amigos!

 

 

Participe do próximo Mapeamento e Gerenciamento de Processos

Inscreva-se já!

 

Fonte: OPAS/OMS