Saiba tudo o que aconteceu no Curso de Formação de Avaliadores em São Paulo

“Colocar o paciente em primeiro lugar é garantir sua segurança, incentivar o envolvimento do corpo assistencial e seguir protocolos assistenciais”. Essa frase dita pelo Diretor de Relacionamento Médico do IBES, Dr. Rafael Munerato, resume o objetivo da Acreditação em saúde.

No XXIX Curso de Formação de Avaliadores IBES – Metodologia SBA/ONA, que aconteceu em São Paulo entre segunda e terça-feira desta semana, foram abordados os seguintes temas sobre o processo de Acreditação:

  • Seções e subseções do Manual ONA 2018;
  • Qualidade;
  • Gestão;
  • Segurança;
  • Equipe multiprofissional;
  • Melhoria Contínua.

Leia também: Os 25 benefícios da Acreditação em Saúde

 

Adriano Marques, gestor da qualidade na Santa Casa e docente do Senac, contou: “A busca pela qualidade na instituição começou por exigência de contrato, mas, hoje, nós vamos além, queremos a Acreditação”. Segundo Adriano, a palestra transforma a teoria do manual em questões práticas “os palestrantes apontam como enxergam os conceitos e como já os aplicaram” e complementa: “Exemplos práticos ajudam bastante no entendimento sobre como nós podemos desenvolver a ideia”.

Além dos exemplos e analogias, o curso teve espaço para esclarecimento de dúvidas durante as três palestras. Para Camila Rodrigues, esse é um diferencial. A médica do IGEA, que atua na reestruturação de hospitais públicos e privados, enfatizou a explicação sobre implementação de protocolos “Nós já estamos implementando nas organizações e esta abordagem nos permite perceber se estamos no caminho certo”.

Com aulas do Diretor Rafael Munerato e das Diretoras do IBES, Vanice Costa, de Avaliação e Certificação; e Vivian Giudice, de Planejamento e Controle, o curso enfatizou a necessidade de empoderamento dos colaboradores; contato direto e humano com o paciente; estabelecimento de metas específicas, mensuráveis, acessíveis em determinado prazo; realização de testes em pequena escala para validar protocolos; e discussões sobre o funcionamento dos processos na rotina.

Esse caráter educativo do IBES foi elogiado pela enfermeira supervisora de uma Unidade de Terapia Intensiva em Santo André, Domênica Rafabov: “Eu me identifico muito com esse perfil de tratamento. Os palestrantes abordam temas muito complexos de maneira simples e isso acrescenta muito no nosso dia a dia” e justifica: “Nós lidamos com esses casos diariamente e, às vezes, essa prática não considera a segurança do paciente ou o quanto medidas simples podem solucionar esses problemas”.

Entre as medidas destacadas pela enfermeira, estão o estabelecimento de um diálogo e a integração entre as áreas. Tal visão é compartilhada por Wildiner Araújo, colaborador na Santa Casa de Maringá, o qual revela que o curso era um objetivo pessoal há muito tempo e ultrapassou todas as suas expectativas: “Nossa instituição é acreditada por uma outra IAC (Instituição Acreditadora) e eu queria ver uma perspectiva diferente do que é realizado lá”. Wildiner acrescentou: “Eu já vi muitas práticas diferentes, como a forma administrativa da postura do avaliador”. Devido a boa impressão, já indicou o curso para alguns colegas de trabalho.

A surpresa positiva com o curso do IBES não é novidade para Camila Mayrbaurl, coordenadora de Hotelaria do Hospital Geral do Grajaú. A profissional já havia feito o curso de Atualização do Manual ONA 2018 e compreende que possui uma base muito grande sobre o assunto. A inscrição neste evento se deu por um motivo pessoal e profissional: “Minha instituição já está no processo de Acreditação, então busco melhorar minha prática atual, mas também tenho a intenção de me tornar avaliadora do IBES”.

Mesma razão que levou Neigma da Silva, farmacêutica na Valor Diagnóstico, a se inscrever: “Apesar de eu ter bastante experiência do lado de cá (como avaliada), é desafiador buscar estar do lado de lá (como avaliadora)”. Apesar das dificuldades, a farmacêutica afirma: “Esse curso trouxe um brilho nos meus olhos para essa área, me fez ter vontade de aprender mais e de contribuir para que a saúde, realmente, mude no Brasil”.

Segundo os palestrantes, este é o objetivo do processo de Acreditação: a melhoria contínua visando a excelência e, para eles, atingir esse objetivo depende da troca de conhecimento e experiências. Perspectiva que fica clara para Neigma, que finaliza: “Eles esclarecem ‘não sabemos tudo, estamos aqui para trabalhar juntos, dividir e aprender”.

 

Participe do CURSO “Nível 3: Estratégias para alcançar a Excelência”, que ocorrerá no dia 19 de outubro em São Paulo/SP. INSCREVA-SE e garanta a sua vaga!

Neste episódio, Aléxia Costa explica com detalhes os principais passos para conseguir a Acreditação:



Deixe uma resposta